Testemunhos

Envie-nos por email:ammamevivavida@hotmail.com ou clique aqui para preencher o formulário com o seu testemunho/história.
Gostariamos de ter um arquivo de testemunhos/histórias que ajudarão as outras mulheres a aceitar e a compreender melhor os problemas relacionadas com o Cancro da Mama.

No dia 04 de outubro de 2005 encontrei um pequeno nódulo na mama esquerda; como todos sabemos é uma sensação terrivel,mas na minha idade, 56 anos, filhos criados e orientados,tive mais espaço para pensar mais em mim.Sou católica e muito crente, encontrei em Deus a força para não olhar para tráz;logo no dia seguinte era feriado e eu tinha uma consulta marcada para dia 10 no médico de família. Entâo tentei encaixar na minha cabeça o que se iria passar daí para a frente,e fui passar o fim de semana fora;lá chegou o dia da consulta, o médico mandou-me logo fazer a mamografia e ecografia e disse-me logo que tinha que fazer Só recebi o resultado desta última no dia 07 de dezembro;como tinha o meu médico na urgencia,falhei-lhe pelo telefone,e ele perguntou-me quais os resultados? Eu já sabia-carcinoma ductal invasivo-.mandou-me ir imediactamente para lá;cheguei, já tinha uma carta para médico operador,e consulta para dia 12; fui operada no dia 20: não foi tirada a mama; fiz quadrantectomia ,seguiu-se quimio, que era para serem 6 tratamentos mas tive toxicidade cardiaca; não fiz mais nem a radioterapia que também estava prevista;tem corrido bem a recuperação com a ajuda de Deus.
 
Criado por: Maria de Lourdes Lamaroso Fort
olá ! Eu, em julho de 2003, enfrentei a noticia que tinha um cancro, na mama; eu que tinha tanta vaidade no peito,pois nunca tinha tido absolutamente indices de nada,nesta parte do corpo. Sempre achei que se um dia me caíse essa "bomba", seria noutro sítio do corpo pexemplo do estomago, pois tenho uma ulcera no esôfago. Mas já tudo passou; fui operada logo em setembro, fiz de seguida radioterapia, e quimioterapia, no IPO - Porto, onde fui muito bem tratada. Em fevereiro de 2007, fiz a reconstrução mamaria,e correu tudo muito bem. O meu lema se me permitem dizer é: ( enquanto eu poder, sou eu que mato (doenças), e não ela mim). Força, é o que eu posso dizer a todas as mulheres com este problema. A vida não acaba, mesmo quando alguns familiáres nos abandonam; no meu caso o meu companheiro de 20 anos. deixou-me com uma filha com um atrazo psicomotor. um grande abraço
 
Criado por: Elisa Nunes de Azeredo
tenho 48 anos, médica; tenho um filho de 18 anos, trabalho como médica de família em niterói Rio de Janeiro.Há 2 meses, eu ensinando uma paciente a fazer o auto exame, palpei em mim um nódulo em mama esquerda!!! terminei a consulta da minha paciente e fui procurar um colega especialista para me examinar, esse solicitou uma mamografia e um ultrasom de mama; fiz no dia 12 de dezembro de 2007, uma biópsia e tive a maior e mais triste surpresa da minha vida...carcinoma ductal invasivo!!! Entrei o ano de 2008 na expectativa do futuro! no dia 18 de janeiro fiz uma quadrantectomia com esvasiamento parcial da axila e no prónimo 18 de fevereiro , começarei a quimioterapia...que deus me ajude...mas sou forte e passarei por tudo isso brincando! pois na verdade meu deus é tremendo!!! um beijo no coração de todos...
 
Criado por: Jussara M. Quintes
Olá Ha 7 anos fiz mastectomia radical ;fiz 6 sessoes de quimioterapia e 25 injecções de zoladex. Hoje ainda tomo um comprimido de tamoxifene para a mama ; tenho estado bem graçaa a Deus. Quero dizer a todas as pessoas que estao a passar por esta terrível doença que nao desanimem , não se entreguem à doença, sejam mais fortes que ela , e tenham muita fé e força . Fátima Alves mMdeira
 
Criado por: Maria Fatima Alves
Em maio de 2006, após ter feito uma mamografia, por ter 45 anos e ser chamada à liga, foi-me detectado cancro na mama; tive em dúvida para efectuar esta mamografia, pois 8 meses antes já tinha feito outra e nada tinha acusado. mas, como diz o povo, mais vale ir, não vá o diabo arranjar alguma. Na altura fiquei sem saber o que dizer, nem o que fazer. ei-me a chorar e pensar na minha filha que tinha 13 anos, e como lhe ía dizer. nesse mesmo dia contei-lhe tudo, pensava eu que ela ía ficar um pouco mal, quando o meu espanto, ela me diz: mãe hoje não se morre de cancro, quando tudo é detectado ainda cedo, vais ser operada, tiram-te essa mama, compras ma nova e ficas que nem uma menina de 20 anos. Perante estas palavras, nunca mais fui capaz de chorar, nem pensar no pior; no dia 5 de julho de 2006, fiz mastectomia radical, unilateral direita com esvaziamento axilar total. logo a seguir fiz 6 ciclos de quimioterapia e ainda estou a fazer mensalmente zoladex e diáriamente arimidex;estes tratamentos ainda se vão prolongar pmais alguns anos, mas nem por isso deixei de ter vontade de viver. Este é o meu testemunho e convido a todos para lerem o meu blog, que de certeza vos poderá ajudar. www.cinda1960.blogs.sapo.pt
 
Criado por: Lucinda Maria Pinto de Almeida
Após 3 meses do falecimento do meu pai , com 37 anos e 2 filhdescobri que tinha um cancro da mama, no dia 18 de fevereiro de 2008. Fui operada pela 1ª.vez, fiz tumorectomia e biópsia do ganglio sentinela, 2 semanas depois veio os resultados, os 4 ganglios sentinela que o meu médico me tinha retirado deu resultado negativo, mas o resultado da análise da mama, deu que teria que ser novamente operada para fazer alargamento das margens. No dia 11 de março de 2008 ,2ª. operação e 2ª tumorectomia , voltar a passar pelo o mesmo processo 2º. vez, com a esperança da minha vida regressar à normalidade o mais depressa possível, visto minha filha e o meu marido se desorientarem um pouco cada vez que vou ser operada. Depois quando já pensava que tudo se encaminhava, o meu médico me informa que o pedaço da minha mama retirado na 2ª operação que tinha ido para análise, continuava a ter tume que tinha que ser operada pela 3ª.vez e fazer uma mastectomia. Mastectomia que aconteceu agora no dia 07 de abril de 2008,na qual me colocaram um expansor,para poder fazer a reconstrução da mama e ainda me falta saber que tratamentos é que terei que fazer. .
 
Criado por: Elisabete
Desde os 33 anos que fazia anualmente a mamografia de rotina, pois a minha mãe tinha cancro da mama; infelizmente em dez de 07 as coisas não correram bem.descobriram um nódulo na mamografia e fiz logo a biópsia; deu carcinoma ductal invasor, ia morrendo, não queria acreditar que com 37 anos já tinha que lutar com esta doença. Fui operada, já fiz 3 sessões de quimio, agora estou a fazer radio e depois terei que fazer quimio outra vez. tem sido muito dificil, pois entretanto a minha mãe faleceu e o meu pai também está a lutar contra o cancro da próstata. Tenho dois filhos pequenos é por eles que luto todos os dias. O meu nódulo era gelatinoso, tal como o da minha mãe, não era palpável e muito dificil de encontrar na ecografia;por isso faço um alerta para que não tenham medo de fazer a mamografia, pois os benefícios são muito superiores ao mal que pequenas emissoes de radiaçoes podem provocar. http://www.cadernodiariogatapina.blogspot.com/
 
Criado por: Sandra
Sou fruto de uma mãe que sempre a vi a sofrer com problemde sáude, ou eram depressões ou aparecia-lhe sempre alguma doença.. com isto tive sempre raiva aos comprimidos e aos médicos, pois eram sempre o que a envolviam e foi quem a fez desistir da vida. Agora, eu com 39 anos,com dois filhos menores, aparece-me o tão mistico cancro da mama;já faço quimioterapia, estou completamente alterada fisicamente e mentalmente e para além de acartar com o problema ainda sei bem o que eles estão a sofrer, tal como eu sofria; só não sei palavras certas para lhes explicar o que é esta doença e quais suas consequencias. tenho dois tumores na mama direita que se localizam debaixo do mamilo, o que faz com que esperança sejam nulas,em os tirar sem retirar a mama, agora ainda apareceu outro na esquerda que com o tratamento tem vindo a diminuir, o que não exclui de ter que o tirar, visto ser cancro de grau i. porque é que isto aparece, onde é que errámos. lutei para ter estas duas filhas, perdi uma luta, na 2ª gravidez, mas sempre consegui chegar ao fim . e agora
 
Criado por: Fátima Santos
Aos 35 anos foi me diagnosticado cancro de mama, o mundo fugiu me dos pes e so me perguntava o porque a mim; tenho um filho de 3 anos e pensava que não ia conseguir cuidar dele. Fiz uma primeira intervenção cirurgica , uma tumurectomia- cirurgia conservadora- ;o resultado da anatomia foi devastador carcinoma ductal invasivo multifocal;chamaram -me do hospital para fazer a mastectomia radical. Vou iniciar a quimioterapia agora com toda a força que tenho para vencer esta doença. A todas estas mulheres de coragem que estão atravessar esta luta pensem nos filhos na vida que tantas vezes nos passa despercebida com coisinsignificantes.
 
Criado por: Elsa Valentina
Foi-me diagnosticado a uns 4 meses cancro da mama, tinha 33 anos. Na altura fiquei em estado de choque, interroguei-me muitas vezes- porque a mim? a pensar ter um filho, contituir familia e mais alguns projectos. Fiquei muito revoltada. hoje digo, que estou bem dentro dos possiveis;já foi operada , fiz mastectomia total , estou a recuperar e vou começar com os tratamentos brevemente. Estou com muita força para vencer esta página má da minha vida. digo a todas as mulheres que estão a enfrentar este tipo de problema tenham muita força e fé. amar a vida com todas as forçes, viver um dia de cada vez. e muito importante rodearmo-nos das que pessoque nos amam de verdade.
 
Criado por: Carla Leal Lopes


Partilhe a sua história
* Campos obrigatórios.
O seu nome:*
O seu email:*
Sobre si:
A sua localização:
O seu website:
A sua imagem:
As imagens não podem ser maiores que 500x500 px e 250 kb
Código de Segurança:
Insira o código aqui:*
Partilhe aqui a sua história:*