Testemunhos

Envie-nos por email:ammamevivavida@hotmail.com ou clique aqui para preencher o formulário com o seu testemunho/história.
Gostariamos de ter um arquivo de testemunhos/histórias que ajudarão as outras mulheres a aceitar e a compreender melhor os problemas relacionadas com o Cancro da Mama.

A vida reservou para mim um ninho de microcalcificações que foram tiradas em 1993 e 1995; em 1998 novamente me foi diagnosticado outro ninho de microcalcificações; por conselho médico e devido a historial de cancro de mama, mãe e irmã, aceitei uma mastectomia bilateral profilática com reconstrução e estou bem ! irene (53 anos)
 
Criado por: Irene Santos
Tenho 38 anos. Há 1 ano foi-me diagnosticado um cancro da mama;não nego que a primeira reacção é péssima, contudo surpreendi-me com a minha atitude positiva; pensei não aguentar o facto de fazer uma mastectomia, mas afinal temos força onde nunca julgámos poder ter. Concentrei-me no meu filho (9anos)...e através dele consegui alcançar a maior energia positiva possível!!! ;agradeço a todos os amigos e familiares que me ajudaram naquela fase e, sobretudo, ao meu filho, marido e pais, sem os quais não tinha aguentado. Coloquei um expansor, já fiz a reconstrução; hoje sou uma mulher muito mais feliz... aprendemos a relativizar o que não interessa e a valorizar o melhor que a vida nos dá diariamente. A mensagem que deixo a todas as mulheres é que devem acreditar e lutar. É preciso querer para amar e viver a vida.
 
Criado por: Marta Fonseca Almeida
Tenho 53 anos e há quase 4 anos ao fazer uma mamografia de rotina, foi-me diagnosticado cancro na mama;depois de todos os exames feitos,e marcada a operação, foi-me dito pelo cirurgião,antes do internamento, e num guichet de secretaria do hospital de santarém,que afinal já não me ia operar porque não tinha a certeza se o tumor primário estaria na mama ou se eram metásteses e o tumor poderia estar noutro orgão, provavelmente na tiróide. Não consigo explicar o que senti naquela altura e com aquela frieza do médico a quem eu odiei imediatamente.o meu marido falou com ele, e ficou decidido operar-me à axila,para deteção da localização do tumor; vivi um tempo horrivel até saber o resultado,. Vivi uma luta interior muito grande entre isolar-me e entregar-me ao desgosto e o contrário, lutar contra a doença; nesta altura o meu marido também estava doente,deixou de trabalhar e precisava muito de mim,e foi o grande amor que nos unia que me deu força para reagir. Felizmente,depois do resultado ,detectou-se que o tumor era na mama, e no dia seguinte fui para um hospital particular , porque a lista de espera era de meses,fazer a mastectomia. Não foi díficil aceitar a deformação do meu corpo, porque já nasci com uma deficiencia, sem uma perna, uso uma prótese para andar desde os 18 meses de idade, por isso fui educada a aceitar sem revolta o que surge na vida; sempre fiz uma vida normal como todas as mulheres, estudei, trabalho desde os 18 anos, casei, fui feliz, tenho 2 netos ,mas agora estou muito pbaixo porque o meu marido faleceu e eu estou sozinha numa casa enorme, onde tudo são recordações e fruto de tanto trabalho nosso. Recuperei bem dos tratamentos, fiz quimioterapia,e radioterapia, estive sem trabalhar durante 10 meses, mas logo que acabei a radio, fui imediatamente trabalhar,porque eu era o sustento da minha casa. a minha vida deu uma grande volta, gastámos todas as nossas economias,e passámos dificuldades, pois estávamos os dois sem poder trabalhar.quanto aos amigos,tive centenas de pessoaa a visitar-me, mas aqueles de quem nós esperamos, apanhei uma desilusão;apena família mais chegada me ajudou .sempre fui uma pessoa de muita fé,e de facto esta doença também me ajudou a ver a vida com outro sentido. Mesmo sem uma perna e sem a mama, eu gosto de mim e não me faz diferença ver-me ao espelho, porque podemos viver com uma enorme beleza interior, vivendo bem com os outros,fazendo feliz quem nos rodeia e se algum marido não aceita esta modificação é porque não ama a esposa. Sabem que eu felizmente nem me lembro que estive doente, faço uma vida tão activa e com tanto trabalho,e se não fosse ter perdido o meu marido era uma mulher muito feliz ,apesar de tudo o que passei, porque eu sou tão humilde que preciso de pouco para ser feliz.
 
Criado por: Isabel Coelho
Em dezembro de 2007, enquanto cuidava do meu pai acamado com cancro, depois de ter feito uma bateria de exames para ver se podia doar um rim a um irmão, foi-me pedido que fizesse uma biópsia a um nódulo que tinha no peito esquerdo; como já tinha esse nódulo há vários anos e a minha ginecologista me dizia que não era preciso fazer biópsia enquanto não crescesse, fui fazê-la sem grandes receios.Era apenas mais um exame entre tantos. contudo, devia ter pensado melhor pois tenho antecedentes por parte da família do meu pai e da minha mãe de cancro de mama. O resultado da biópsia e de uma ressonância magnética que me pediram para ter absoluta certeza, foi confirmado cancro. O meu pai faleceu no dia 8 de janeiro de 2008 e eu fui operada a 28 de fevereiro; seguiu-se a quimioterapia e a radioterapia que terminou a 5 de agosto;graça deus não havia metásteses, e por agora parece que o mal passou. Encontro-me em franca recuperação. creio que o que me deu força, pois encarei sempre tudo muito bem, foi pensar que tinha que viver e terminar o quanto antes os tratamentos, limpar o organismo, para qie o transplante seja possível.
 
Criado por: Ana Paula Moreira Dide Sousa
Tenho 57 anos. ao fazer uma mamografia foi-me diagnosticado cancro. Fiz uma biopsia e foi confirmado, Foi considerado urgente, pouco mais de um mês fui operada. Foi preciso ter muita força.
 
Criado por: Rosália Gonçalves
Tenho 40 anos e fui operada duas vezes em agosto de 2007;tirei a mama estou livre de perigo e estou com muita esperança de viver ate aos 90 anos . Não desanimem,nós mulheres somos muito fortes e com deus tudo se conssegue.
 
Criado por: Anónimo
Tenho 33 anos e foi-me diagnosticado um tumor maligno na mama direita;não tenho familiares com cancro,e tenho uma vida saudável. Neste momento já realizei todos os exames para realizar a cirurgia. É um dos momentos mais dificeis que na vida de um ser humano;realizei a biópsia no dia 03/11/2008 e o médico confirmou na hora que era um tumor maligno antes do resultado da biópsia. Foi o choque na altura, mas agora estou mentalizada e que tenho uma vida para viver.
 
Criado por: cláudia cunha
Tenho 35 anos e foi me diagnosticado um tumor maligno na mana esquerda; no dia 21 foi operada e foi me retirado uma parte da mama . Agora tenho que fazer radioterapia e quimioterapia . Tenho 2 filhos - 1 com 15 anos o outro com 3 anos e tenho a sorte de ter um marido maravilhoso que me tem apoiado em tudo. Quero dizer uma coisa a todas as mulheres: tenham muita força - a vida é bela e lutem até o fim
 
Criado por: Sandra Marina Coelho F
olá! Chamo-me Ana Isabel, tenho 37 anos e com 34 foi-me diagnosticado cancro da mama; infelizmente, o meu tumor tinha 6 cm e os gânglios estavam 9 em 10 afectados. A minha médica foi um bocado negligente porque viu que estava grande e não me alertou para o perigo que havia. disse apenque não sabia e para ir a outro médico; fiz 10 sessões de quimioterapia - 6 antes da mastectomia e 4 depois, para além de 30 sessões de radioterapia. Neste momento estou de baixa porque tenho uma metástase na anca (da mama que retirei ) e estou à espera que me chamem para fazer radioterapia. É muito difícil realmente passar por isto tudo.É bom poder partilhar com outras pessoas que têm o mesmo problema e que entendem o que passamos. Para além de tudo, sou mãe solteira. tenho um menino de 4 anos e é ele que me faz sorrir e é a razão da minha força e da minha esperança. Quem passa por tudo isto, como nós, tem a vantagem de se tornar mais sensivel aos outros, ao sofrimento e de passar a valorizar o que é realmente importante, deixando para trás coisas fúteis da vida. É isto que tenho aprendido. muita força para todas.
 
Criado por: Ana Isabel
Tenho 47 anos, em agosto deste ano foi-me diagnosticado um nódulo na minha mama esquerda de 1 cm,; após a biopsia e constatado o carcinoma, fiz a cirurgia e precisei esvaziar a axila. Agora já estou fazendo a quimioterapia que não é nada fácil. mas tenho certeza de que vai passar e vai dar tudo certo, pois nasci de novo e mudarei minha vida, na maneira de pensar de me alimentar e o principal viver um deus verdadeiro que cuida, basta a gente querer. beijos.
 
Criado por: Bania T. Brentan de Souza


Partilhe a sua história
* Campos obrigatórios.
O seu nome:*
O seu email:*
Sobre si:
A sua localização:
O seu website:
A sua imagem:
As imagens não podem ser maiores que 500x500 px e 250 kb
Código de Segurança:
Insira o código aqui:*
Partilhe aqui a sua história:*