Voluntariado

Há muitas estratégias que podem apoiar o impacto emocional de ter cancro

É necessário e a mulher espera apoio daqueles que lhe são próximos - marido, companheiro, filhos e amigos; por vezes estes também manifestam anseios que podem agravar o medo da mulher.

Agora é necessário ter empatia com a mulher. Não deve estar só.

A mulher após ser informada do diagnóstico deve imediatamente sentir apoio, para que fique mais confortada, mais segura, para poder exprimir com à-vontade as suas emoções e equacionar os problemas da doença; poder ouvir ou falar com pessoas estranhas, mas que já tenham tido a mesma experiência e que a possam apoiar.

Depois de ter completado o tratamento, ela continuará a viver a vida e agora já com menos medo, ainda que o reaparecimento da doença possa ocorrer; necessitam de manter a vigilância da doença, consultas médicas mas não devem deixar que o medo as paralise.


É aqui que deve ser dado o suporte dos grupo de apoio voluntariado.

Os nossos voluntários foram treinados para poderem Saber ouvir, Saber responder correctamente, Saber apoiar e nas dúvidas contactar valências adequadas.

Voluntário deve estar disponível para apoiar / acompanhar

A mulher mastectomizada deve ter o apoio necessário, até estar conhecedora da sua doença, e saber que a partir de agora será um sobrevivente de cancro da mama.

Cada dia deve ser vivido intensamente.

Ter uma vida normal.

Para que a mulher se sinta feliz e torne os que a rodeiam também felizes

A equipa de voluntariado da nossa Associação presta colaboração no Hospital de Dia do Hospital dos Capuchos; iremos brevemente alargar a nossa acção a outros estabelecimentos de Saúde.

Quer ser voluntária? Contacte-nos